segunda-feira, Maio 05, 2014

1º Encontro Federalista Europeu em Portugal

O primeiro Encontro Federalista Europeu de Portugal pretende agregar o maior número possível de cidadãos, associações cívicas, movimentos de cidadãos e outras organizações com interesses numa Europa federal. 

Este ano, o encontro é organizado pelas associações portuguesas Juventude Federalista Europeia (JEF) e PFE Portugal. Contamos também com a presença de vários membros da associação (internacional) União dos Federalistas Europeus a título pessoal, dado que essa associação europeia se encontra em fase de recriação em Portugal.

Vamos debater a pergunta essencial nesta época de eleições europeias: Neste ano do centenário do início da primeira guerra mundial, assistimos ao regresso dos temas nacionalistas em vários países europeus. Qual a Europa que podemos e devemos imaginar para nós e para as gerações vindouras?

Assim, o tema resume-se numa única pergunta : Que Europa queremos?

 Lugares limitados. Inscrições obrigatórias em:





segunda-feira, Dezembro 03, 2012

2013 - Ano Europeu dos Cidadãos

2013 é o Ano Europeu dos Cidadãos. O objectivo do Ano Europeu dos Cidadãos consiste em facilitar aos cidadãos da União o exercício do seu direito de circular e residir livremente no território da UE, assegurando um fácil acesso às informações sobre os seus direitos. Mais especificamente, o objectivo do Ano Europeu consiste em:
  • aumentar a sensibilização dos cidadãos para o seu direito de residir livremente na União Europeia;
  • aumentar a sensibilização para a forma como os cidadãos podem beneficiar dos direitos e políticas da UE e estimular a sua participação activa no processo de elaboração das políticas da União;
  • estimular o debate sobre o impacto e o potencial do direito de livre circulação, em especial em termos de reforço da coesão e de compreensão mútua.

segunda-feira, Setembro 03, 2012

Precisamos de uma Europa Federal?

O PSD inseriu no programa da sua Universidade de Verão deste ano um painel sobre a Europa: Precisamos de uma Europa federal? com dois oradores Paulo Rangel e Manuela Franco.

Aqui fica a notícia publicada no DN:

Eurodeputado defende que o fim da UE teria como consequência o regresso às guerras no continente e sustenta que "Portugal tem hoje maior influência na definição da política monetária do que tinha no tempo do escudo" 

"No dia em que passarmos a ler jornais europeus, como o Die Welt ou o Corriere della Sera, em vez de lermos só os anglo-saxónicos, deixaremos de dar tanta atenção às agências de rating", declarou, esta tarde, Paulo Rangel na Universidade de Verão da JSD, num debate sobre o tema "Precisamos de uma Europa Federal?"
A sua oponente no frente-a-frente, a eurocética Manuela Franco, que foi secretária de Estado dos Negócios Estrangeiros e da Cooperação de Durão Barroso, retorquiu, em jeito de contraponto, que prefere a imprensa americana e inglesa porque, ao contrário da europeia continental, é dissonante em relação ao poder governamental - e, acerca da queixa dos europeus relativamente às agências de rating, lembrou que os donos da Fitch "são franceses".
Entrando em polémica, além de sustentar que a maioria dos decisores atuais não consegue ler francês, alemão ou italiano, acabando por ter apenas uma perspetiva única sobre a realidade, Paulo Rangel revelou ainda que eurodeputados ingleses admitem, nos corredores de Bruxelas, que, se forem assumidamente mais pró-europeus, tornam-se reféns da imprensa londrina.
Na sua intervenção, o eurodeputado social-democrata sustentou que o "cenário alternativo" ao federalismo que defende será o "caos", pois "a Europa iria regressar à sua tradição: desde há 2500 anos, resolve os seus conflitos através de guerras". Na sua leitura, sobretudo depois de ter verificado o ódio entre os parlamentares eslovacos e húngaros, entre representantes de outros povos e nações eslavos em Bruxelas, mas também ao refletir sobre os desejos autonómicos da Flandres e da Padânia, do País Basco e da Catalunha, da tentativa cada vez mais premente de secessão da Escócia, concluiu que "a desintegração do euro e da UE teria como consequência uma confrontação armada" no Velho Continente.
Além de assegurar o objetivo da paz (e também de garantir o peso económico e político da UE numa cena internacional onde há novas potências emergentes, do Brasil à Índia, do México à Austrália), o federalismo "aumentaria a capacidade de influência dos pequenos e médios Estados europeus", em detrimento da atual "conceção aristocrática" de um diretório dos grandes países. E Paulo Rangel sublinha que esse passo permitiria também perceber que, "quando estamos a votar nas Legislativas, só estamos a eleger uma Junta de Freguesia, pois as decisões são tomadas noutra sede mais distante".

 Fernando Madaíl
in DN 31.08.2012

Umas eleições verdadeiramente europeias

Um excelente artigo sobre as próximas eleições europeias.


No fim da Segunda Guerra Mundial, havia a esperança da paz ao fundo do túnel europeu. Hoje, há a esperança de qualquer coisa que parece mais próxima mas que, dia após dia, se revela mais inatingível e mais abstrata: a união política europeia. Dirigentes, economistas e juristas reclamam-na; os apelos dos intelectuais multiplicam-se. Mas ninguém age de forma concreta. Os tabus que nos levaram a apagar dos Tratados europeus palavras como constituição, federação e, até, lei continuam a dominar.

Toda a gente sabe que o cenário mudou e que se formou um "espaço público europeu". Não o espaço de coesão e de opinião pública comum desejado pelos federalistas, guardiães da grande tradição. Mas um espaço marcado negativamente pelas restrições e pelos fardos aceites pelos "outros", ou seja, pelos mais pobres ou pelos mais ricos, consoante se seja do Norte ou do Sul. Não é de espantar que, nesse espaço, cresça a prosperidade política daqueles que falam contra a Europa e as suas instituições. Acusam-na, não de ser um escudo ineficaz contra a crise, mas abertamente de a ter causado. (mais...)


sexta-feira, Junho 22, 2012

A JEF Europa está a organizar um curso sobre comunicação e jornalismo que pode ser muito útil. Inscrevam-se!

Mais informações....JEF Europe


JEF-Europe’s Working Group Visibility and the editorial board of thenewfederalist.eu have combined forces to offer you a four-day training on JEF communication practices, visibility and journalism.

All JEFers interested and/or involved in these areas, are invited to join us in the great 'Destelheide formation center' in Dworp (near Brussels) to discuss the visibility of both JEF-Europe as the member organisations.
Topics to be discussed are the following:


■How can the new webpage, which is in the making, serve the communication needs of our organisation? How can we enforce our internal communication, bottom-up and top-down?


■How can do create a Pan-European communication campaign?

■How can we strengthen the visual identity of JEF?

■How can we reach out to the media? And to other valuable partners?

■How do we integrate our different communication channels?

■How can we promote the brand ‘JEF’ better?

■How can we attract more visitors to our website(s)?

■How do we write better articles for TNF?

■How can we get more audience for the articles written by JEF activists?

■How can we stimulate online debate on Federalist issues?

■What is the use of a communication strategy and a communication work plan?


Experts from partner organisations will give us concrete advice on how we can communicate our message(s) better. The focus will be on the exchange of best practices between the different sections present. The Training Days aim to kick of a network of JEF-communicators that will act as multipliers in their home sections. They will also be a great tool for capacity-building.


segunda-feira, Agosto 01, 2011

Helsínquia 2011

JEF Europa e JEF Finlândia organizam de 22 a 28 de Outubro em Helsínquia um Seminário Internacional subordinado ao tema "Fixing a hole – closing the gaps in democracy!"

Uma oportunidade para participar em simuladores de decisão e na discussão sobre cidadania, inclusão, democracia, etc.

Inscrições até 7 de Agosto em Helsinki2011

quarta-feira, Maio 11, 2011

terça-feira, Março 08, 2011

Dia Da Estónia


É já no próximo sábado, dia 12 de Março, que vai decorrer o Dia da Estónia. Este evento organizado em conjunto com ARAL - Associação de Residentes do Alto do Lumiar e a CEDL - Casa da Europa do Distrito de Lisboa vai decorrer nas instalações desta última associação.